Rinite alérgica: como amenizar este problema?

Rinite alérgica: como amenizar este problema?

Pelo menos 30% dos adultos e 26% das crianças sofrem com o problema no Brasil, mas, mesmo assim, a maioria não entende direito como funciona e como amenizar os sintomas da rinite alérgica.

De acordo com a Asbai, 80% das pessoas que têm asma também têm sintomas de rinite alérgica. Consideradas doenças irmãs, no entanto, nenhuma das duas é a boazinha.

Se a asma hoje mata cerca de 2 mil pessoas no país, a rinite alérgica pode prejudicar a qualidade de vida, afetando, inclusive, o sono e até 40% da sua produtividade. Não é à toa, portanto, que por ano sejam gastos nada menos que US$ 20 bilhões com a rinite alérgica em todo o mundo.

O problema é sério, mas pode ter seus sintomas amenizados com algumas mudanças de hábitos e medidas simples em casa. Entenda a diferença entre ambas as doenças e veja como melhorar seu sistema respiratório.

Rinite alérgica e asma: entenda a diferença

Os sintomas de ambas as doenças têm origem nas vias aéreas superior e inferior, respectivamente. Na asma, eles se manifestam como chiado no peito e forte falta de ar. Isso pode se agravar ao ponto de ter que usar broncodilatador, a famosa bombinha.

Já na rinite alérgica os principais sintomas são obstrução nasal, espirros, coriza e coceira no nariz. E não é para menos, afinal é através dele que penetram partículas prejudiciais ao organismo.

Algumas dessas substâncias são filtradas, mas outras conseguem passar. Em determinadas pessoas elas desencadeiam uma resposta exagerada do sistema imunológico, que é o mecanismo de defesa do organismo.

Esses alérgenos, como são chamados, estão presentes em vários lugares – mas principalmente em casa. É aí que quem já tem predisposição mais sofre, já que a alergia tem grande fator genético: filhos de pais alérgicos têm 50% de chance de também ser.

Apesar de ser hereditária e não ter cura, a rinite alérgica pode ter seus sintomas amenizados. Para isso, no entanto, é preciso compreender que, a sua casa, muito provavelmente é o seu maior problema.

Afinal, o que causa a rinite alérgica?

Há vários fatores que podem desencadear a rinite alérgica: mudança de temperatura, contato com poeira, pó, ácaros, pelo de animais como gatos e cães podem desencadear um processo inflamatório mucosa do nariz.

No entanto, em até mais de 90% dos casos a pessoa apresenta alergia aos ácaros, que vivem, justamente, na poeira doméstica.

Sem o diagnóstico adequado, muitas vezes o indivíduo imagina tratar-se apenas de um resfriado, gripe, rinossinusite viral e bacteriana. Só que, nesse caso, tratou, curou.

Na rinite alérgica, que não tem cura e pode, inclusive, se transformar e sinusite se não for tratada, a questão fica mais complicada, já que é preciso eliminar o foco da alergia – e não apenas cuidar dos sintomas.

Clique aqui e veja mais informações sobre Rinite Alérgica, nesta matéria sobre a Air Flix no jornal O Popular

Mandando o inimigo para longe

Para amenizar os sintomas da rinite alérgica, é preciso eliminar o inimigo – ou, no mínimo, se afastar o máximo possível dele. Isso significa acabar com os alérgenos em casa. E também os ácaros, que vivem, se alimentam, se reproduzem, morrem e ficam na poeira doméstica depois de acabado o ciclo de vida.

Por isso, a mudança de hábitos e a adoção de novas práticas é fundamental para melhorar a qualidade de vida de quem tem rinite alérgica.

Veja o que fazer:

    • Conserve mantas de lã em capas. Os bichos de pelúcia embalados. E mantenha cortinas de tecidos fáceis de serem lavados e recolocados com frequência – pelo menos 1 vez por semana;
    • Animais de estimação devem estar sempre muito bem cuidados e de banho tomado. Os pelos tendem a se a acumular entre as frestas dos estofados, mas não é preciso se livrar do gato ou cãozinho. Basta mantê-lo bem escovado e a casa bem limpa;
    • Mantenha a casa sempre bem ventilada, com janelas e portas abertas. A entrada de iluminação natural também é importante. Assim como a ventilação, reduz o risco de formação de mofo e fungos;
    • Evite fumaça de cigarro, produtos de limpeza de odores fortes, inseticidas, perfumes muito ativos e tintas, que também podem deflagrar crises de rinite alérgica;
    • Mantenha sofás e tapetes muito bem limpos e higienizados. Além da limpeza normal diária e faxina uma vez por mês, faça uma higienização profissional a cada 6 meses. Apenas esse tipo de limpeza penetra a fundo o suficiente para eliminar os ácaros e outros alérgenos que ficam entranhados nas camadas mais profundas do tecido. Mantenha essa regularidade para evitar crises;
    • Impermeabilizar o sofá também ajuda a eliminar focos de alérgenos. Além de proteger o estofado contra derramamento de líquidos e comidas em geral, o processo também facilita a limpeza diária, fazendo com que a poeira seja retirada mais facilmente, sem penetrar no tecido.
  • Procure um alergista se perceber que a crise não melhora. O diagnóstico correto é fundamental para o tratamento e a tomada de ações assertivas dentro de casa.

Essas informações vão ajudar você a identificar a possibilidade de rinite alérgica e eliminar focos que podem piorar os sintomas da doença. Não há cura, mas ao adotar esses hábitos você estará melhorando sua qualidade de vida.

Aproveite para saber mais sobre higienização e impermeabilização de sofás profissional. Venha conversar com um especialista da Air Flix e conhecer nosso padrão Premium de atendimento!

Casa limpa é mais agradável e saudável

Deixe seus móveis livres de agentes causadores de alergias e irritações, clique abaixo e solicite um orçamento de higienização para estofados.

Deixe uma resposta